IMPRINTO

Informação de acordo com § 5 TMG:

SODADE – Associação alemã-caboverdeana

Endereço postal

Neuer Graben 161
44137 Dortmund
Telefone: +49 (0)231 130 761 68
info@sodade.de
www.sodade.de

Conselho Executivo autorizado a representar a empresa:

1ª Cadeira: Stefan Birenheide
2º presidente: Ana Verissimo Birenheide
3º Presidente/Tesoureiro: Heike Vorbohle

O clube tem a sua sede em Dortmund, Alemanha.
Registo das Associações: VR 6220
Tribunal local: Dortmund
Jurisdição: Dortmund
Número de identificação fiscal: 314/5702/6835

Conta de donativos:
Sodade – Deutsch-Kapverdische Gesellschaft e.V.
(SODADE – Associação alemã-caboverdeana)
Bank für Sozialwirtschaft
(Banco para a Economia Social)
BLZ 251 205 10
Konto 9452200
IBAN: DE17251205100009452200
BIC: BFSWDE33HAN

Desenho e Programação:
Ulf Meyer
Art & Creative Direction
info@ulf-meyer.com
www.ulf-meyer.com

Resolução de litígios

Não estamos dispostos ou obrigados a participar em processos de resolução de litígios perante uma comissão de arbitragem de consumidores.

Responsabilidade pelo conteúdo

Como prestador de serviços, somos responsáveis pelo nosso próprio conteúdo nestas páginas, de acordo com as leis gerais, nos termos do § 7 para. 1 TMG. De acordo com os §§ 8 a 10 TMG, contudo, não somos obrigados, como prestador de serviços, a monitorizar informações transmitidas ou armazenadas por terceiros ou a investigar circunstâncias que indiquem actividade ilegal. As obrigações de remover ou bloquear a utilização da informação de acordo com as leis gerais não são afectadas por isto. No entanto, a responsabilidade a este respeito só é possível a partir do momento em que uma infracção concreta da lei se torne conhecida. Se tivermos conhecimento de tais infracções, removeremos imediatamente o conteúdo relevante.

Responsabilidade por ligações

A nossa oferta contém links para websites externos de terceiros, sobre cujos conteúdos não temos qualquer influência. Por conseguinte, não podemos assumir qualquer responsabilidade por estes conteúdos externos. O respectivo fornecedor ou operador das páginas é sempre responsável pelo conteúdo das páginas ligadas. As páginas ligadas foram verificadas quanto a possíveis violações legais no momento da ligação. Os conteúdos ilegais não eram reconhecíveis no momento da ligação. No entanto, um controlo permanente do conteúdo das páginas ligadas não é razoável sem provas concretas de uma violação da lei. Se tivermos conhecimento de qualquer infracção, removeremos imediatamente tais ligações.

Direitos de autor

Os conteúdos e obras criados pelos operadores do sítio nestas páginas estão sujeitos à lei alemã de direitos de autor. A duplicação, processamento, distribuição, ou qualquer forma de comercialização de tal material para além do âmbito da lei de direitos de autor, exige o consentimento prévio por escrito do seu respectivo autor ou criador. Os downloads e cópias deste site só são permitidos para uso privado e não comercial. Na medida em que o conteúdo deste sítio não foi criado pelo operador, os direitos de autor de terceiros são respeitados. Em particular, o conteúdo de terceiros é identificado como tal. No entanto, se tiver conhecimento de uma violação dos direitos de autor, informe-nos em conformidade. Se tivermos conhecimento de qualquer infracção, removeremos imediatamente esse conteúdo.

Protecção dos dados

Estamos muito satisfeitos com o seu interesse na nossa empresa. A protecção de dados é de uma prioridade particularmente elevada para a gestão de Hamburger Event Dekoration. A utilização das páginas da Internet da Sodade e.V. é possível sem qualquer indicação de dados pessoais. No entanto, se uma pessoa interessada quiser utilizar serviços especiais da nossa empresa através do nosso website, o tratamento de dados pessoais poderá tornar-se necessário. Se o tratamento de dados pessoais for necessário e se não existir base legal para tal tratamento, obteremos geralmente o consentimento da pessoa em causa.
O tratamento de dados pessoais, tais como o nome, endereço, endereço electrónico, ou número de telefone de uma pessoa em causa, deve estar sempre em conformidade com o Regulamento Geral de Protecção de Dados, e de acordo com os regulamentos de protecção de dados específicos do país aplicáveis à Agência de Receitas. Através desta declaração de protecção de dados, a nossa empresa gostaria de informar o público sobre o tipo, âmbito e finalidade dos dados pessoais que recolhemos, utilizamos e processamos. Além disso, os titulares dos dados são informados dos seus direitos através desta declaração de protecção de dados.
Como responsável pelo tratamento, a Sodade e.V. implementou numerosas medidas técnicas e organizacionais para assegurar a mais completa protecção dos dados pessoais processados através deste website. No entanto, as transferências de dados baseadas na Internet podem sempre estar sujeitas a vulnerabilidades de segurança, pelo que não pode ser garantida uma protecção absoluta. Por esta razão, cada pessoa interessada é livre de nos transmitir dados pessoais por meios alternativos, por exemplo, por telefone.

1. nome e endereço do controlador de dados:

O responsável pelo tratamento, na acepção do Regulamento Geral sobre Protecção de Dados, de outras leis de protecção de dados aplicáveis nos Estados-Membros da União Europeia e de outras disposições com carácter de protecção de dados, é:

Sodade – Sociedade Germano-Cabo Verde e.V.
Stefan Birenheide
Nova vala 161
44137 Dortmund
Tel.: +49 (0)231 130 761 68

2. definições

A declaração de protecção de dados da Sodade e.V. baseia-se nas noções utilizadas pela Directiva Europeia e pelas Autoridades de Regulação ao emitir o Regulamento de Protecção de Dados (DS-GVO). A nossa declaração de protecção de dados deve ser de fácil leitura e compreensão tanto para o público como para os nossos clientes e parceiros comerciais. Para garantir isto, gostaríamos de explicar os termos utilizados com antecedência. Utilizamos os seguintes termos, entre outros, nesta declaração de protecção de dados:

a) Dados pessoais: Por dados pessoais entende-se qualquer informação relativa a uma pessoa singular identificada ou identificável (doravante “titular dos dados”). Uma pessoa singular identificável é aquela que pode ser identificada, directa ou indirectamente, em particular por referência a um identificador como um nome, um número de identificação, dados de localização, um identificador em linha ou a um ou mais factores específicos da identidade física, fisiológica, genética, mental, económica, cultural ou social dessa pessoa singular.
b) Titular dos dados: qualquer pessoa singular identificada ou identificável cujos dados pessoais são tratados pelo responsável pelo tratamento.
c) Tratamento: qualquer operação ou conjunto de operações que seja efectuado sobre dados pessoais, seja ou não por meios automáticos, tais como recolha, registo, organização, arquivo, armazenamento, adaptação ou alteração, recuperação, consulta, utilização, divulgação por transmissão, difusão ou qualquer outra forma de disponibilização, alinhamento ou combinação, restrição, apagamento ou destruição.
d) Restrição do tratamento: A restrição do tratamento é a marcação dos dados pessoais armazenados com o objectivo de limitar o seu futuro tratamento.
e) Perfilagem: a perfilagem é qualquer tipo de tratamento automatizado de dados pessoais que consiste em utilizar esses dados pessoais para avaliar certos aspectos pessoais relativos a uma pessoa singular, em particular para analisar ou prever aspectos relativos ao desempenho dessa pessoa singular no trabalho, situação económica, saúde, preferências pessoais, interesses, fiabilidade, comportamento, localização ou mudança de localização.
f) Pseudonimização: Pseudonimização significa o tratamento de dados pessoais de forma a que os dados pessoais deixem de poder ser relacionados com uma pessoa específica sem informações adicionais, desde que tais informações adicionais sejam mantidas separadamente e sujeitas a medidas técnicas e organizacionais que garantam que os dados pessoais não sejam atribuídos a uma pessoa singular identificada ou identificável.
g) Responsável pelo tratamento: o responsável pelo tratamento é a pessoa singular ou colectiva, autoridade pública, agência ou outro organismo que, sozinho ou em conjunto com outros, determina as finalidades e os meios de tratamento dos dados pessoais. Sempre que os objectivos e meios desse tratamento sejam determinados pela legislação da União ou dos Estados-Membros, o responsável pelo tratamento ou os critérios específicos para a sua designação podem ser previstos pela legislação da União ou dos Estados-Membros.
(h) Processador: um processador é uma pessoa singular ou colectiva, autoridade pública, agência ou outro organismo que processa dados pessoais em nome do responsável pelo tratamento.
(i) Destinatário: pessoa singular ou colectiva, autoridade pública, agência ou outro organismo a quem são divulgados dados pessoais, quer seja ou não um terceiro. Contudo, as autoridades públicas que possam receber dados pessoais no contexto de um mandato de investigação específico ao abrigo da legislação da União ou dos Estados-Membros não serão consideradas como destinatários. j) Terceiro: um terceiro é uma pessoa singular ou colectiva, uma autoridade pública, um serviço ou outro organismo que não a pessoa em causa, o responsável pelo tratamento, o subcontratante e as pessoas que, sob a responsabilidade directa do responsável pelo tratamento ou do subcontratante, estão autorizadas a tratar os dados pessoais.
(k) Consentimento: Entende-se por consentimento qualquer indicação específica e informada, livremente dada, sob a forma de uma declaração ou outro acto afirmativo inequívoco, através do qual a pessoa em causa manifesta a sua concordância com os dados pessoais que lhe dizem respeito que estão a ser tratados.

3. registo de dados e informações gerais:

O sítio web da Sodade e.V. recolhe uma série de dados e informações gerais com cada chamada do sítio web por um sujeito de dados ou sistema automatizado. Estes dados e informações gerais são armazenados nos ficheiros de registo do servidor. Podem ser recolhidos os seguintes dados: (1) os tipos e versões de browser utilizados, (2) o sistema operativo utilizado pelo sistema de acesso, (3) o website a partir do qual um sistema de acesso acede ao nosso website (o chamado referrer), (4) os subwebsites que são acedidos através de um sistema de acesso no nosso website, (5) a data e hora de acesso ao website, (6) um endereço de protocolo Internet (endereço IP) de forma anónima, (7) o fornecedor de serviços Internet do sistema de acesso e (8) outros dados e informações semelhantes que servem para evitar perigos em caso de ataques aos nossos sistemas de tecnologia de informação.
Ao utilizar estes dados e informações gerais, Sodade e.V. não tira quaisquer conclusões sobre o sujeito dos dados. Pelo contrário, esta informação é necessária (1) para entregar correctamente o conteúdo do nosso sítio web, (2) para optimizar o conteúdo do nosso sítio web e a publicidade dos mesmos, (3) para assegurar a funcionalidade a longo prazo dos nossos sistemas de tecnologia da informação e da tecnologia do nosso sítio web, e (4) para fornecer às autoridades responsáveis pela aplicação da lei as informações necessárias para a acusação em caso de ataque informático. Por conseguinte, a Agência de Receitas analisa dados e informações recolhidos anonimamente, por um lado, e, por outro, com o objectivo de aumentar a protecção e segurança dos dados da nossa empresa, para assegurar um nível óptimo de protecção dos dados pessoais que processamos. Os dados anónimos dos ficheiros de registo do servidor são armazenados separadamente de quaisquer dados pessoais submetidos por uma pessoa em causa.

3.1 Plugin de Navegador

Pode recusar a utilização de cookies, seleccionando as definições apropriadas no seu navegador, no entanto, note que se o fizer, poderá não ser capaz de utilizar todas as funcionalidades deste website.

3.2. Biscoitos

Este website cumpre com a obrigação de indicar a utilização de cookies. Através da utilização de cookies, as páginas da Internet podem ser de fácil utilização, eficazes e mais seguras. No processo, ficheiros de texto com pontos de informação baseados em actividades do utilizador são temporariamente armazenados no browser do utilizador. Assim, as preferências de visita e as configurações do website podem ser definidas e armazenadas. Os cookies armazenados podem ser visualizados e geridos para cada website:

  • Chrome: Clicar no cadeado (para sítios certificados SSL) ou no ícone de informação (i) na parte superior junto à barra de endereços. Seleccionar [número] são utilizados.
  • Firefox: Clique no ícone no canto superior esquerdo do endereço web. Seguir a caixa de clique à direita e seleccionar “Mais informações”. A gestão de cookies está localizada em “Privacidade & História”.
  • Internet Explorer: Atrás do ícone da engrenagem, seleccionar o botão “Ferramentas” > “Opções da Internet”. Clique no separador “Privacidade”. Em Definições encontrará o item “Avançado” com as opções de gestão para cookies.

Ao armazenar cookies, permite que esta página inicial adapte o seu conteúdo e estrutura às necessidades individuais do visitante. As configurações do website são armazenadas por um período de tempo limitado e recuperadas quando voltar a visitá-lo. Com a aplicação do DSGVO 2018, os webmasters são obrigados a cumprir o regulamento de base publicado em https://eu-datenschutz.org/ e a informar os seus utilizadores em conformidade sobre a recolha e análise de dados. A legalidade do processamento é fundamentada no Capítulo 2, Artigo 6 do GDPR. Se os cookies forem desactivados, a funcionalidade deste website pode ser limitada.

3.3 Ficheiros de registo do servidor

O fornecedor das páginas recolhe e armazena automaticamente informações nos chamados ficheiros de registo do servidor, que o seu navegador nos transmite automaticamente. Estes são: Tipo de browser e versão do browser, sistema operativo utilizado, URL de referência, nome do host do computador de acesso e hora do pedido do servidor. Estes dados não podem ser atribuídos a pessoas específicas. Não combinamos estes dados com outras fontes de dados. Reservamo-nos o direito de verificar estes dados retrospectivamente se tivermos conhecimento de indícios concretos de utilização ilegal.

3.4 Formulário de contacto

Se nos enviar perguntas através do formulário de contacto, os seus dados do formulário de inquérito, incluindo os dados de contacto que aí fornecer, serão armazenados por nós para efeitos de processamento do inquérito e em caso de perguntas de seguimento. Não transmitimos estes dados sem o seu consentimento.

4. encriptação SSL

Este site utiliza encriptação SSL por razões de segurança e para proteger a transmissão de conteúdos confidenciais, tais como pedidos de informação que nos envia como operador do site. Pode reconhecer uma ligação encriptada pelo facto de a linha de endereço do navegador mudar de “http://” para “https://” e pelo símbolo do cadeado na linha do navegador. Se a encriptação SSL for activada, os dados que nos transmitir não poderão ser lidos por terceiros.

5. Eliminação e bloqueio de dados pessoais de rotina

O responsável pelo tratamento trata e armazena os dados pessoais da pessoa em causa apenas durante o período de tempo necessário para atingir a finalidade do armazenamento ou se tal tiver sido previsto pela Directiva Europeia e pelo Legislador ou outro legislador nas leis ou regulamentos a que o responsável pelo tratamento está sujeito.Se a finalidade do armazenamento deixar de ser aplicável ou se expirar um período de armazenamento prescrito pela Directiva Europeia e pelo Legislador ou outro legislador competente, os dados pessoais serão rotineiramente bloqueados ou apagados de acordo com as disposições legais.

6. Direitos do titular dos dados 6.1 Direito de confirmação

Todas as pessoas em causa têm o direito concedido pela directiva e regulamento europeus de obter confirmação do responsável pelo tratamento sobre se os dados pessoais que lhe dizem respeito estão a ser tratados. Se uma pessoa interessada desejar exercer este direito de obter confirmação, poderá, a qualquer momento, contactar qualquer funcionário do responsável pelo tratamento.

6.1. Direito de acesso

Qualquer pessoa afectada pelo tratamento de dados pessoais tem o direito, concedido pela Directiva Europeia e pelo Organismo de Regulação, de obter do responsável pelo tratamento, a qualquer momento e gratuitamente, informações sobre os dados pessoais armazenados a seu respeito e uma cópia dessas informações. Além disso, a Directiva Europeia e o Organismo de Regulação concedeu ao sujeito dos dados acesso às seguintes informações:

  • As finalidades do tratamentoAs categorias de dados pessoais,
  • as categorias de dados pessoais tratados
  • os destinatários ou categorias de destinatários a quem os dados pessoais foram ou serão divulgados, em particular no caso de destinatários em países terceiros ou organizações internacionais
  • se possível, a duração prevista para a qual os dados pessoais serão armazenados ou, se tal não for possível, os critérios para determinar essa duração
  • a existência de um direito de obter a rectificação ou apagamento dos dados pessoais que lhe digam respeito, ou de obter a restrição do tratamento pelo responsável pelo tratamento, ou um direito de oposição a esse tratamento
  • a existência de um direito de recurso para uma autoridade de controlo
  • se os dados pessoais não forem recolhidos junto da pessoa em causa: Qualquer informação disponível sobre a origem dos dados
  • a existência de decisões automatizadas, incluindo a definição de perfis, nos termos dos nºs 1 e 4 do artigo 22º do GDPR e, pelo menos nestes casos, informações significativas sobre a lógica envolvida e o âmbito e os efeitos pretendidos desse tratamento para a pessoa em causa.
  • de tal processamento para a pessoa a quem os dados dizem respeito.
  • Além disso, o titular dos dados tem o direito de ser informado se os dados pessoais foram transferidos para um país terceiro ou para uma organização internacional. Se for esse o caso, o titular dos dados terá também o direito de obter informações sobre as salvaguardas apropriadas em relação à transferência.
  • Se uma pessoa interessada desejar exercer este direito de acesso, pode, a qualquer momento, contactar um funcionário do responsável pelo tratamento.

6.2 Direito de rectificação

Qualquer pessoa afectada pelo tratamento de dados pessoais tem o direito concedido pela Directiva e Regulamento Europeu de solicitar a rectificação imediata de quaisquer dados pessoais inexactos que lhe digam respeito. Além disso, o titular dos dados tem o direito de solicitar o preenchimento de dados pessoais incompletos, inclusive através de uma declaração suplementar, tendo em conta as finalidades do tratamento.
Se uma pessoa interessada desejar exercer este direito, pode, a qualquer momento, contactar qualquer funcionário do responsável pelo tratamento.

6.3 Direito ao apagamento (direito a ser esquecido)

Qualquer pessoa afectada pelo tratamento de dados pessoais tem o direito, concedido pela directiva e regulamento europeus, de obter do responsável pelo tratamento o apagamento sem demora dos dados pessoais que lhe digam respeito, sempre que se aplique um dos seguintes motivos e na medida em que o tratamento já não seja necessário:

  • Os dados pessoais foram recolhidos ou tratados para tais fins para os quais já não são necessários.
  • A pessoa em causa revoga o seu consentimento em que o tratamento se baseou nos termos do art. 6(1)(a) DS-GVO ou do art. 9(2)(a) DS-GVO e não há outra base legal para o tratamento.
  • A pessoa em causa opõe-se ao tratamento nos termos do artigo 21(1) DS-GVO e não existem motivos legítimos superiores para o tratamento, ou a pessoa em causa opõe-se ao tratamento nos termos do artigo 21(2) DS-GVO.
  • Os dados pessoais foram tratados de forma ilegal.
  • O apagamento dos dados pessoais é necessário para o cumprimento de uma obrigação legal ao abrigo da legislação da União ou do Estado-Membro a que o responsável pelo tratamento está sujeito.
  • Os dados pessoais foram recolhidos em relação aos serviços da sociedade da informação oferecidos nos termos do artigo 8(1) DS-GVO.

Se uma das razões acima mencionadas se aplicar, e o titular dos dados desejar providenciar o apagamento dos dados pessoais armazenados pela Sodade e.V., pode, a qualquer momento, contactar qualquer funcionário do responsável pelo tratamento. O funcionário da Sodade e.V. providenciará para que o pedido de apagamento seja imediatamente atendido.
 Se os dados pessoais tiverem sido tornados públicos pela Sodade e.V., e a nossa empresa como responsável pelo tratamento for obrigada a apagar os dados pessoais nos termos do n.º 1 do artigo 17º do Regulamento de Protecção de Dados, a Sodade e.V., tendo em conta a tecnologia disponível e os custos de implementação, implementará medidas razoáveis, incluindo as de natureza técnica, a fim de informar outros responsáveis pelo tratamento dos dados pessoais publicados, de que a pessoa em causa solicitou a esses outros responsáveis pelo tratamento de dados que apagassem todas as ligações ou cópias ou réplicas dos dados pessoais, a menos que o tratamento seja necessário. O empregado da Sodade e.V. providenciará o necessário em casos individuais.

6.4 Direito à restrição do processamento

Qualquer pessoa afectada pelo tratamento de dados pessoais tem o direito concedido pela directiva e regulamento europeus de obter do responsável pelo tratamento a restrição do tratamento sempre que uma das seguintes condições seja satisfeita:

  • A exactidão dos dados pessoais é contestada pelo titular dos dados durante um período que permite ao responsável pelo tratamento verificar a exactidão dos dados pessoais.
  • O tratamento é ilegal, a pessoa em causa opõe-se ao apagamento dos dados pessoais e solicita, em vez disso, a restrição da utilização dos dados pessoais.
  • O responsável pelo tratamento já não precisa dos dados pessoais para os fins do tratamento, mas a pessoa em causa precisa deles para fazer valer, exercer ou defender pretensões legais.
  • A pessoa em causa opôs-se ao tratamento nos termos do artigo 21 (1) da GDPR e ainda não é claro se os motivos legítimos do responsável pelo tratamento se sobrepõem aos da pessoa em causa.
  • Se uma das condições acima mencionadas for cumprida, e o titular dos dados desejar solicitar a restrição dos dados pessoais armazenados pela Sodade e.V., poderá, a qualquer momento, contactar qualquer funcionário do responsável pelo tratamento. O empregado da Sodade e.V. providenciará a restrição do processamento.

6.5 Direito à portabilidade dos dados

Qualquer pessoa afectada pelo tratamento de dados pessoais tem o direito concedido pela directiva e regulamento europeus de receber os dados pessoais que lhe digam respeito, que tenham sido fornecidos pelo titular dos dados a um responsável pelo tratamento, num formato estruturado, comummente utilizado e legível por máquina. Tem igualmente o direito de transmitir esses dados a outro responsável pelo tratamento sem impedimento por parte do responsável a quem os dados pessoais tenham sido fornecidos, desde que o tratamento se baseie no consentimento nos termos da alínea a) do nº 1 do artigo 6º da GDPR ou da alínea a) do nº 2 do artigo 9º da GDPR ou num contrato nos termos da alínea b) do nº 1 do artigo 6º da GDPR e o tratamento seja efectuado por meios automatizados, a menos que o tratamento seja necessário para o desempenho de uma tarefa de interesse público ou para o exercício da autoridade oficial investida no responsável pelo tratamento. Além disso, ao exercer o direito à portabilidade dos dados nos termos do nº 1 do artigo 20º da GDPR, a pessoa em causa tem o direito de obter que os dados pessoais sejam transferidos directamente de um responsável pelo tratamento para outro, sempre que tal seja tecnicamente viável e desde que tal não afecte negativamente os direitos e liberdades de outros indivíduos. A fim de afirmar o direito à portabilidade dos dados, o titular dos dados pode, a qualquer momento, contactar qualquer funcionário da Sodade e.V..

6.6 Direito de objecção

Qualquer pessoa interessada no tratamento de dados pessoais tem o direito, concedido pela directiva e pelo regulamento europeus, de se opor a qualquer momento, por motivos relacionados com a sua situação particular, ao tratamento de dados pessoais que lhe digam respeito, efectuado com base no artigo 6.º, n.º 1, alíneas e) ou f), do DS-GVO. Isto também se aplica à definição de perfis com base nestas disposições. Sodade e.V. deixará de tratar os dados pessoais em caso de objecção, a menos que possamos demonstrar motivos legítimos e imperiosos para o tratamento que se sobreponha aos interesses, direitos e liberdades da pessoa em causa, ou para a afirmação, exercício ou defesa de pretensões legais. Se Sodade e.V. processar dados pessoais para fins de marketing directo, o titular dos dados terá o direito de se opor em qualquer altura ao processamento de dados pessoais processados para tal marketing. Isto também se aplica à caracterização, na medida em que está relacionada com tal comercialização directa. Se o sujeito dos dados se opuser a Sodade e.V. ao processamento para fins de marketing directo, Sodade e.V. deixará de processar os dados pessoais para estes fins. Além disso, a pessoa em causa tem o direito, por motivos relacionados com a sua situação particular, de se opor ao tratamento de dados pessoais que lhe digam respeito, efectuado pela Sodade e.V. para fins de investigação científica ou histórica, ou para fins estatísticos nos termos do n.º 1 do artigo 89º do Regulamento de Protecção de Dados (DSGVO), a menos que tal tratamento seja necessário para o desempenho de uma tarefa executada por razões de interesse público.
 A fim de exercer o direito de oposição, o titular dos dados pode contactar directamente qualquer empregado da Sodade e.V. ou outro empregado. A pessoa em causa é igualmente livre de exercer o seu direito de oposição através de procedimentos automatizados, utilizando especificações técnicas no contexto da utilização de serviços da sociedade da informação, não obstante a Directiva 2002/58/CE.

6.7 Decisões automatizadas em casos individuais, incluindo a definição de perfis

Qualquer pessoa interessada no tratamento de dados pessoais tem o direito, concedido pela directiva e pelo regulamento europeus, de não ser sujeita a uma decisão baseada unicamente no tratamento automatizado, incluindo a definição de perfis, que produza efeitos jurídicos que lhe digam respeito ou que o afectem de forma semelhante de forma significativa, desde que a decisão (1) não seja necessária à celebração ou execução de um contrato entre a pessoa em causa e o responsável pelo tratamento, ou (2) seja autorizada pela legislação da União ou do Estado-Membro a que o responsável pelo tratamento está sujeito e que essa legislação estabeleça medidas adequadas para salvaguardar os direitos e liberdades e os interesses legítimos da pessoa em causa, ou (3) seja tomada com o consentimento explícito da pessoa em causa.
 Se a decisão (1) for necessária para celebrar ou executar um contrato entre a pessoa em causa e o responsável pelo tratamento dos dados, ou (2) for tomada com o consentimento explícito da pessoa em causa, Sodade e.V. aplicará medidas adequadas para salvaguardar os direitos e liberdades da pessoa em causa e os seus legítimos interesses, que incluem pelo menos o direito de obter a participação da pessoa em causa por parte do responsável pelo tratamento, de expressar o seu ponto de vista e de contestar a decisão.
 Se a pessoa em causa desejar exercer os direitos relativos às decisões automatizadas, pode, a qualquer momento, contactar qualquer funcionário do responsável pelo tratamento.

6.8 Direito de retirar o consentimento ao abrigo da lei de protecção de dados

Qualquer pessoa afectada pelo tratamento de dados pessoais tem o direito, concedido pela directiva europeia e pelo legislador, de retirar o consentimento para o tratamento de dados pessoais em qualquer altura.
 Se o titular dos dados desejar exercer o direito de retirar o consentimento, poderá, a qualquer momento, contactar qualquer funcionário do responsável pelo tratamento.

7. Base jurídica do processamento

Artigo 6 Eu acendi uma DS-GVO como base legal para a nossa empresa para operações de processamento em que obtemos consentimento para um fim de processamento específico. Se o tratamento de dados pessoais for necessário para a execução de um contrato em que o titular dos dados é parte, como é o caso, por exemplo, de operações de tratamento necessárias para a entrega de mercadorias ou a prestação de outro serviço ou contrapartida, o tratamento baseia-se no artigo 6 I iluminado. b DS-GVO. O mesmo se aplica a tais operações de processamento que são necessárias para a implementação de medidas pré-contratuais, por exemplo, em casos de inquéritos sobre os nossos produtos ou serviços. Se a nossa empresa está sujeita a uma obrigação legal pela qual se torna necessário um tratamento de dados pessoais, tal como para o cumprimento de obrigações fiscais, o tratamento é baseado no Art. 6 I aceso. c DS-GVO. Em casos raros, o tratamento de dados pessoais pode tornar-se necessário a fim de proteger os interesses vitais da pessoa em causa ou outra pessoa singular. Este seria o caso, por exemplo, se um visitante fosse ferido nas nossas instalações e em consequência disso o seu nome, idade, detalhes do seguro de saúde ou outras informações vitais tivessem de ser transmitidas a um médico, hospital ou outro terceiro. Então o processamento seria baseado no Art. 6 I iluminado. d DS-GVO. Finalmente, as operações de processamento poderiam ser baseadas no Artigo 6 I iluminado f DS-GVO. As operações de tratamento que não são abrangidas por nenhuma das bases jurídicas acima mencionadas baseiam-se nesta base jurídica se o tratamento for necessário para proteger um interesse legítimo da nossa empresa ou de terceiros, desde que os interesses, direitos e liberdades fundamentais da pessoa em causa não sejam anulados. Tais operações de processamento são-nos permitidas, em particular porque foram especificamente mencionadas pelo legislador europeu. A este respeito, considerou que se poderia assumir um interesse legítimo se a pessoa em causa fosse um cliente do responsável pelo tratamento (considerando 47 frase 2 DS-GVO).

8. Interesses legítimos no processamento prosseguido pelo controlador ou por um terceiro.

Se o tratamento de dados pessoais for baseado no Artigo 6 I iluminado por DS-GVO, o nosso interesse legítimo é o desempenho das nossas actividades comerciais em benefício do bem-estar de todos os nossos empregados e dos nossos accionistas.

9 Duração para a qual os dados pessoais são armazenados

O critério para a duração do armazenamento de dados pessoais é o respectivo período de retenção legal. Após o termo do prazo, os dados correspondentes são rotineiramente apagados, desde que já não sejam necessários para o cumprimento do contrato ou para o início do contrato.
10. regulamentos legais ou contratuais para o fornecimento de dados pessoais; necessidade para a celebração do contrato; obrigação da pessoa em causa de fornecer os dados pessoais; possíveis consequências da não prestação
Informamos que o fornecimento de dados pessoais é por vezes exigido por lei (por exemplo, regulamentos fiscais) ou pode também resultar de regulamentos contratuais (por exemplo, informações sobre o parceiro contratual). Por vezes, para celebrar um contrato, pode ser necessário que o titular dos dados nos forneça dados pessoais que devem ser posteriormente tratados por nós. Por exemplo, o titular dos dados é obrigado a fornecer-nos dados pessoais se a nossa empresa celebrar um contrato com ele. O não fornecimento dos dados pessoais significaria que o contrato com o titular dos dados não poderia ser celebrado. Antes de fornecer dados pessoais pela pessoa em causa, a mesma deve contactar um dos nossos funcionários. O nosso empregado explicará ao titular dos dados, caso a caso, se o fornecimento dos dados pessoais é exigido por lei ou contrato ou se é necessário para a celebração do contrato, se existe uma obrigação de fornecer os dados pessoais e quais seriam as consequências de não fornecer os dados pessoais.

11. existência de tomada de decisão automatizada

Como empresa responsável, não utilizamos a tomada de decisões automatizada ou a elaboração de perfis.

12. objecção aos correios publicitários

Opomo-nos à utilização de dados de contacto publicados no âmbito da obrigação de impressão de enviar publicidade e material informativo que não tenha sido expressamente solicitado. Os operadores das páginas reservam-se expressamente o direito de tomar medidas legais em caso de envio não solicitado de informações publicitárias, tais como mensagens de correio electrónico não solicitadas.

13. política de privacidade para o uso de software de análise

Utilizamos o software “Visitors Traffic Real Time Statistics” para analisar e avaliar estatisticamente a utilização do nosso website. Os cookies (cláusula 10) são estabelecidos para este fim. A informação gerada pelo cookie sobre a utilização do website é transmitida para os nossos servidores e compilada em perfis de utilização pseudónimos. Esta informação é utilizada para avaliar a utilização do website e para nos permitir conceber o nosso website de acordo com os requisitos. Em nenhuma circunstância o endereço IP será ligado a outros dados relacionados com o utilizador. A informação não é transmitida a terceiros.